31. julho 2012 09:51
by Administrator
0 Comentários

Respiradores do tipo PFF-VO

31. julho 2012 09:51 by Administrator | 0 Comentários

O MTE não emitirá/renovará mais nenhum CA para respiradores purificadores de ar, tipo Peça Facial Filtrante (PFF), que contenham a indicação “VO” – vapores orgânicos – em sua referência, modelo ou qualquer outro documento, uma vez que a marcação “VO” pode induzir o usuário a pensar que esta PFF também poderá ser utilizada em ambientes contendo vapores orgânicos em qualquer concentração.

 

Quando uma PFF possuir camada de carvão ativado, nela deverão constar apenas as marcações previstas na NBR13698, podendo ter em seu manual de instruções a informação: Para uso contra odores incômodos de vapores orgânicos desde que a sua concentração no ambiente de trabalho esteja abaixo do nível de ação (metade do Limite de Exposição)” ou informação equivalente.



fonte: Animaseg

19. julho 2012 20:58
by Administrator
0 Comentários

Luva de Cobertura não é EPI

19. julho 2012 20:58 by Administrator | 0 Comentários

 

 

O MTE divulga o Comunicado XVIII informando que a luva de sobrepor, utilizada para proteger a luva isolante de borracha é somente um acessório que pode ser utilizado, desde que não interfira com as características da Luva e não acarrete riscos adicionais.


Na Integra:

COMUNICADO XVIII

Diante dos diversos questionamentos relacionados à utilização de luvas de sobrepor, informamos que tal produto não é considerado um Equipamento de Proteção Individual, pois o EPI tem o objetivo de proteger o trabalhador quanto a um risco, enquanto esta luva destina-se a proteger o EPI luva isolante de borracha, e não o trabalhador. Desta forma, esclarecemos que a luva de sobrepor é um acessório que pode ser utilizado em conjunto com o EPI luva isolante, com o fim de evitar a ocorrência de escoriações e microfuros na luva isolante, DESDE QUE NÃO INTERFIRA NAS CARACTERÍSTICAS PROTETIVAS DO EPI E NÃO ACARRETE RISCOS ADICIONAIS.

5. julho 2012 09:32
by Administrator
0 Comentários

MTE lança manual sobre a NR 35

5. julho 2012 09:32 by Administrator | 0 Comentários

 O Ministério do Trabalho e Emprego disponibilizou nesta semana para download, em sua página na Internet, o Manual de Auxílio na Interpretação e Aplicação da Norma Regulamentadora nº 35, sobre Trabalho em Altura, publicada no Diário Oficial da União de 27 de março.

Aprovada pela Portaria nº 313, de 23 de março, a NR 35 tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta ou indiretamente com a atividade. 

O manual desenvolvido pelo GTT (Grupo de Trabalho Tripartite) visa auxiliar a fiscalização dos Auditores Fiscais do Trabalho e também reforçar sobre as determinações previstas na Norma Regulamentadora nº 35 que devem ser aplicadas pelos empregadores e trabalhadores. Ele busca esclarecer os aspectos da gestão de Segurança e Saúde do Trabalho para todas as atividades realizadas em altura. 

Baixe o arquivo na íntegra

Fonte: Redação Revista Proteção - Data: 04/07/2012 

22. junho 2012 21:16
by Administrator
0 Comentários

Protetor solar ganha novas regras

22. junho 2012 21:16 by Administrator | 0 Comentários

Os produtos de proteção solar utilizados pela população brasileira ganharam novas regras para garantir a proteção da pele dos usuários. Uma das principais mudanças é que o valor mínimo do Fator de Proteção Solar (FPS) vai aumentar de 2 para 6 e a proteção contra os raios UVA terá que ser de no mínimo 1/3  do valor do FPS declarado. O FPS mede a proteção contra os raios UVB, já o FP UVA mede a proteção contra os raios UVA. Para tais comprovações, as metodologias aceitas pela Anvisa foram atualizadas  e foi estabelecida uma metodologia específica para a comprovação contra raios UVA, que, até então, não estava definida.

A resolução RDC 30/12, publicada nesta segunda-feira (4/6) pela Anvisa, também aumenta os níveis dos testes exigidos para comprovar a eficácia do protetor. Pela norma, alegações, como resistência à água, terão que ser comprovadas por metodologias específicas definidas no novo regulamento. Os fabricantes poderão indicar em seus rótulos as expressões "Resistente à água", " Muito Resistente à água", "Resistente à Água/suor" ou "Resistente à Água/transpiração", desde que comprovem essa característica.

O rótulo dos protetores solares terá mudança ainda em suas informações obrigatórias. A orientação sobre a necessidade de reaplicação será obrigatória para todos os produtos, mesmo aqueles mais resistentes à água. Além disso, fica vedada qualquer alegação de 100% de proteção contra as radiações solares ou a indicação de que o produto não precisa ser reaplicado.

O prazo de adequações dos fabricantes à norma é de dois anos. A nova regra segue os novos parâmetros para protetores solares adotados em todo o Mercosul.

Fonte: Anvisa http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/anvisa+portal/anvisa/sala+de+imprensa/assunto+de+interesse/noticias/protetor+solar+ganha+novas+regras